Como nasceu a ADC

Na segunda metade da década de quarenta foram fundadas no Carregado duas coletividades: em 1946, o Clube de Caçadores Carregadense e em 1949 o Sport Lisboa e Carregado.

Clube / História

Os anos iniciais. Em 1946...

O Clube de Caçadores, estruturado com elenco diretivo, estava sediado na Rua Vaz Monteiro, em instalações cedidas pela família que deu nome à artéria. O Sport Lisboa e Carregado não tinha sede social. Vocacionado para a prática do futebol, encontrava-se dependente de um grupo de jovens que reunia num pátio na casa Cleto, situada na Rua Pinto Barreiros. A sua existência foi, contudo, efémera mas as sementes que deixou motivaram o carregadense Faria a reorganizar os jovens.

Desta forma promove, também, participativamente alguns encontros de futebol, de caráter particular, no terreno pertencente à Quinta da Condessa.
Algum tempo depois, a dinâmica gerada com a equipa impele ao surgimento, do Desportivo Juventude Carregadense, sediado na Rua Vaz Monteiro (junto ao Café Imperial) em instalações cedidas pela família Forte. 

A 27 de Setembro de 1950, no decurso de uma assembleia geral do Clube de Caçadores Carregadense, promovida com o obejtivo da explanação da sua situação financeira, o tesoureiro da coletividade, Francisco Rodrigues, propõe ao plenário a realização de um estudo a avaliar as hipóteses da fusão do Clube de Caçadores com o Desportivo Juventude Carregadense, ainda em fase embrionária. Adquire um equipamento “à Futebol Clube do Porto”- para não criar polémicas com os adeptos benfiquistas e sportinguistas.

94228508_235955937653926_165810648435916

1950

O ano da Fundação

A proposta colhe a aprovação unânime da Assembleia e a concordância de alguns membros do Desportivo Juventude, presentes. Em consequência, fica marcado o dia 6 de dezembro de 1950 para a realização conjunta, de caráter extraordinário, das respetivas assembleias gerais. No seu decurso são tomadas decisões transcendentes: a fusão das duas coletividades com todas as consequências económicas e patrimoniais; a escolha do nome da nova coletividade – ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DO CARREGADO – proposto por Manuel Bernardo Paulino e aprovado por maioria;

Determinação da sede social – a mesma ocupada pelo Clube Caçadores Carregadense, na Rua Vaz Monteiro – e a nomeação de uma Comissão encarregada por elaborar os Estatutos da Associação Desportiva do Carregado. Com o intuito de assinalar, de maneira profunda, o empenho de cada grupo dentro da A.D.C. e o nível equitativo de cada um no contributo esperado para o seu desenvolvimento, o plenário decidiu que os números dos associados fundadores fossem atribuídos alternadamente. O primeiro coube ao Clube de Caçadores do Carregado e foi dado a Carlos Soares. 

O Segundo contemplou o Desportivo Juventude Carregadense e destinou-se a António Marques Cleto. Por esta ordem seriam registados os demais. A Associação Desportiva do Carregado adotou as cores usadas pelo Desportivo Juventude Carregadense – branca e azul. Fixou as quotas dos seus associados em 3$00, mensais.

1951

A 6 de Fevereiro de 1951, o plenário da Associação Desportiva do Carregado reune-se para eleger os seus primeiros corpos gerentes. A ocasião, solene, foi aproveitada para a distinção de José de Lacerda Pinto Barreiros e António Rodrigues Vaz Monteiro, como sócios honorários. Neste mesmo ano – 1951 – o sócio honorário José Pinto Barreiros, cede à Associação o terreno onde se localiza o atual campo de futebol, para alí se implantarem as estruturas comuns à prática desportiva. Desta incumbência e para angariação de fundos, fica mandatada uma Comissão eleita em Assembleia Geral.

Constituíam a Comissão Manuel M. Abreu, José António Rodrigues, Augusto Luís da Graça, João Luís da Graça, José Mourato, Salvador Pereira e Alberto Desterro. 
O modo encontrado para a captação de fundos foi a realização de festas. Na construção do campo de futebol, para além do investimento financeiro, a Comissão contou com trabalho voluntário e algumas ofertas – os pilares da vedação do campo foram doados por associados e amigos da coletividade. Os nomes destes benfeitores ficaram gravados naquelas estruturas.

Os primeiros Corpos Gerentes

Digitalizar_large.2.jpg

1955

A 20 de Setembro de 1955, o Campo de Futebol é finalmente inaugurado para gáudio dos Carregadenses. A Banda de Música da Sociedade Filarmónica Olhalvense abre o cortejo que evolui pelas ruas do lugar, precedida dos estandartes das coletividades convidadas: Águia Sport Vilafranquense; Ateneu Artístico de Vila Franca, Juventude da Castanheira, Sporting Clube de Alenquer, Sport Alenquer e Benfica, Sociedade União Musical Alenquerense, Sociedade Filarmónica Olhalvense e Bombeiros Voluntários de Alenquer.

As autoridades locais comparecem e assistem, conjuntamente com um representante da Federação Portuguesa de Futebol, Direção, associados e população  carregadense, aos encontros de futebol inaugurais, que colocam em confronto as equipas de júniores da Juventude da Castanheira e do Sport Alenquer e Benfica e o Sport Clube de Alenquer contra a Associação Desportiva do Carregado. O pontapé de saída ocorre às 14h45. Do encontro envolvendo a Associação Desportiva do Carregado, sai vencedor o Sporting Clube de Alenquer, após prolongamento. No final do tempo da partida registou-se um empate a uma bola.

A grande inauguração

Em 1959, o Engenheiro Vasco Raposo Moreira é eleito para o cargo de Presidente da Direção da Associação. Conjuntamente com Luís Carvalho Rosa e Daniel Rodrigues Ribeiro – membros, também, da equipa diretiva teriam uma ação preponderante e decisiva na consecução da aspiração mais profunda da coletividade – um Ginásio / Sede.

Na época desportiva 1960/1961 sucede a segunda presença da ADC no Campeonato Distrital de Futebol da 3ª Divisão. No ano seguinte, ocorre novo interregno na prova, mas a partir da época 1963/1964, a Associação passa a ter presença continuada.

1960

1959

1957

A atividade desportiva, nomeadamente o futebol, recebe um incremento notável com a sucessão de vários torneios.
Na época 1957/1958, a Associação Desportiva do Carregado participa pela primeira vez no Campeonato Distrital da 3ª Divisão da Associação
Futebol de Lisboa, classificando-se em 6º lugar.

* * *

Os associados vibram de entusiasmo e comemoram estas conquistas com um beberete. 
Para materializar a ideia do Ginásio / Sede, são executadas visitas de estudo de diversas coletividades dos concelhos limítrofes. O primeiro projeto teve como autor José Carlos C. Silva. Foi apresentado aos associados pelo Engenheiro Vasco Raposo. Previa 2 pisos, uma cave e um salão polidesportivo, adaptado para festas e cinema. Não obtém, contudo, o apoio dos poderes públicos, a quem a Associação recorre para obter financiamento por contemplar atividades culturais e desportivas no mesmo espaço. Posteriormente, o projeto seria retificado pelo Engenheiro Hélio Bessa S. Neves.

a) Obrigação de dar, o título de indemnização, a importância que nessa data tiverem a cotação oficial, centro e setenta (170) livras de oiro, à Igreja do Carregado, que deverá aplicar essa importância em obras de assistência no Carregado;
4- As penalidades impostas, cessam no dia 31 de dezembro de 1992.
Dois dias após a escritura do terreno, a 18 de março de 1962, realiza-se uma Assembleia Geral da Associação. No seu decurso são avançadas as linhas programáticas do projeto de construção do Ginásio / Sede e é feita, com este propósito, uma colecta que rende 1.123$00. Acontece, ainda, a entrega formal da cópia da escritura do terreno pelo Presidente da Direção Engenheiro Vasco R. Moreira ao Presidente da Assembleia Geral Dr. Guilherme Delgado e a oferta à Associação  de 200.000$00, pelo Eng. Vasco Moreira consignados ao pagamento da mão-de-obra, a envolver pelo empreendimento.

O património da  Associação Desportiva do Carregado seria valorizado significativamente no ano de 1962. A família Pinto Barreiros vende à coletividade pelo valor simbólico de 2.100$00, um terreno com a área de 2100m2.
Da escritura de compra e venda, celebrada no Cartório Notarial de Alenquer em 16 de Março, constam os seguintes condicionalismos expressos por vontade do benemérito:

1- Obrigação de no prazo de trinta (30) anos ser construído um edifício destinado ao Ginásio / Sede da A.D.C. com 1900m2 de área coberta;

2- Obrigação de não contrair empréstimos que no global excedam o valor de cem mil escudos (100.000$00);
3- No caso da extinção da ADC ou não cumprimento das duas anteriores cláusulas, fica a mesma sujeita à seguinte penalidade:

1962

1968

A nova sede, depois de ter sido restaurada, foi inaugurada  em 12 de maio de 1968. Cumulativamente, a atividade desportiva sofreu, neste ano, acentuada evolução: as exigências para a prática do futebol em regime de competição, obrigaram  à melhoria qualitativa das estruturas do campo; os atletas séniores e amadores participaram, com brio, nas provas realizadas pela AFL – III Divisão e no Torneio “Taça Diário Popular”, no qual foram vencidos pelo Paço d’Arcos. Os Júniores competem, pela primeira vez, no campeonato da II Divisão Distrital, onde atingem a 2ª fase da prova. A ADC filiou-se na Associação de Ténis de Mesa de Lisboa. Foi em 1968, que o plenário da coletividade nomeou uma Comissão Pró-Ginásio/Sede, incumbida de preparar o início das obras. O trágico falecimento do Engenheiro Vasco Raposo, principal mentor do empreendimento – na altura Presidente da Assembleia Geral, ensombra a atividade da Comissão. Dois anos depois, em 1970, um grupo de associados formou a Comissão de Festas do Carregado.

1970

O reatamento das Festas teve como finalidade a obtenção de dividendos financeiros destinados a custear a construção do Ginásio/ Sede. No dia 8 de dezembro de 1970, debaixo de muita emoção, foi implantada a primeira pedra do edifício e promovido um cortejo de oferendas que é bem sucedido. À construção do rés-do-chão da casa suceder-se-ia o 1º piso, concluído em 1976. Logo que este espaço é colocado em funcionamento, opera-se o abandono das instalações da antiga sede e a junção de todo o espólio da Associação fica concentrado no edifício. Os associados e a população, em geral, passaram a dispôr de um local de encontro social.  Mas estas estruturas, volvidos alguns anos, demonstram ser limitadoras face à evolução sócio-económica do Carregado.
Constatação que levou os dirigentes da ADC, em 1982, a voltar a organizar os festejos do Carregado, com a intenção de obterem financiamento para custear, no futuro, a construção de um pavilhão Gimnodesportivo.

O rápido crescimento

Em Futebol, os júniores, mesmo derrotados pela equipa “Os Barcelenses” por 3-0 na fase final, ascendem ao Campeonato Nacional de Júniores, proeza ainda não ultrapassada por outra coletividade do concelho;

Na época de 76/77 a Associação Desportiva do Carregado inicia a secção de ginástica, realizando-se nesse mesmo ano o 1º Sarau Gimnico.

A Associação Desportiva do Carregado homenageou, em 1977, o sócio Manuel Maria Abreu, atribuindo-lhe o galardão “Mérito Desportivo” e elevou-o à categoria de Sócio-Honorário.

1977

1976

1975

O nível populacional acelera a partir dos anos setenta, atitude que tem reflexos profundos na vida da Associação Desportiva do Carregado. A assunção desta realidade, pesem todas as vicissitudes, catapulta a coletividade para a promoção de diversas realizações.

1989

Adjacente ao Pavilhão, inicia-se nos anos de 1992 e 1993 a construção de dois ginásios. 
Colateralmente aos esforços desenvolvidos com a construção do pavilhão polivante e anexos, ocorrem atividades desportivas, recreativas e sociais. O Carregado afirma-se paulatinamente no contexto da região, sustentado pelo privilégio da sua localização geográfica, valorada por duas das mais importantes rodovias nacionais, responsáveis pela atração de diversas atividades industriais de grande incremento.

Em 1986, a Associação obtém do Estado a verba de 36 mil contos, através de despacho de Sua Excelência o Secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, destinada a comparticipar os custos com a nova obra, orçada em 60 mil contos. O novo empreendimento, orgulho da população Carregadense, é desenvolvido em 1989, ano a partir do qual se inicia a construção do Pavilhão polivalente.  A população apoia, com donativos, o cortejo de oferendas organizado pela ADC.

2001

Na época 2000/2001, a equipa de futebol sénior subiu à 3ª Divisão do Campeonato Nacional, alcançando um feito histórico para o clube e para todo o Concelho de Alenquer.

Na época 2006/2007, a equipa de futebol sénior alcança novo feito histórico para o clube e para o Concelho ao conseguir a subida à 2.ª Divisão Nacional. Na mesma época, as equipas de Juvenis e Juniores subiram à 1.ª Divisão e à Divisão de Honra do campeonato distrital. Imediatamente na época seguinte, a equipa de Juvenis atinge mais um marco histórico ao sagrar-se campeã distrital da 1.ª Divisão, tendo por mérito próprio a subida para a Divisão de Honra.

2007

Os anos de ouro

Na época de 2009/2010, por ter vencido a sua série e devido à desclassificação das equipas do Vizela e Gondomar, a Associação Desportiva do Carregado foi convidada para participar no futebol profissional, a anteriormente designada Liga Vitalis, tendo realizado boas participações, apesar da equipa ter sido estruturada e preparada para competir, nessa época, no futebol amador – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão.

2009

2015-2020

Outras modalidades como o Yoga, nas artes marciais o Taekwondo e o Kenpo e, recentemente, reergueu a modalidade de Futsal. Contando com cerca de 3.000 sócios, é hoje um clube com dimensão nacional e o mais representativo do Concelho de Alenquer. Pretende continuar a melhorar as suas infra-estruturas desportivas, tendo em vista a dinamização e o desenvolvimento da prática desportiva na freguesia do Carregado, fundamental para a melhoria da qualidade de vida da população.

O futebol de formação da ADC tem vindo a conquistar o seu espaço no panorama desportivo distrital, com as suas equipas de escolas infantis, iniciados, juvenis e juniores a competir nos principais campeonatos distritais e a Escolinha de Futebol, com cerca de 100 crianças praticantes, é um projecto desportivo de cariz não competitivo de enorme sucesso no desenvolvimento da actividade desportiva na Vila do Carregado. A ADC continua a apoiar as modalidades de Ginástica de Acrobática, Motricidade, Formativa e Babygym.

O Futuro

Subscreve a newsletter mensal da Associação Desportiva do Carregado e serás sempre o primeiro a saber o que se passa no nosso Clube!

|

|

|

© 2020-2021 ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DO CARREGADO - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

A ADC é uma coletividade sem fins lucrativos e de utilidade pública fundada em 06 de Dezembro de 1950, com funções centradas no desenvolvimento da prática desportiva, procurando apoiar todas as iniciativas que promovam o ensino e a formação do jovem como atleta, que contribuam para a sua integração social, para a sua afirmação individual e que respondam às necessidades de ocupação dos seus tempos livres. Associação certificada com a Bandeira da Ética.